Sobre óbvios ululantes

Ultrapassamos a barreira das impressões. Das versões que fizeram e que fizemos de nós; Do mistério que costurou silencioso os músculos geradores do seu sorriso; Da verdade estampada na cara, na alma e no peito! Agora, sem amarras, nem traumas a vida celebra a beleza do aprendizado na impermanência! E que assim seja! No fundo,Continuar lendo “Sobre óbvios ululantes”

Sobre renovar a ideia de amor

Alguns amores são como sonhos. Projeções egoicas das nossas expectativas: Só sobrevivem enquanto a ilusão persiste. É difícil perceber o maniqueísmo do ego ressentido lutando mais por uma ideia de romance do que realmente por estar amando sozinho. A libertação chega quando a máscara cai. A nossa. Quando o modelo de príncipe/princesa encantada se vai.Continuar lendo “Sobre renovar a ideia de amor”