A arte cura

Havia guardado o teatro na gaveta; inclusive o prazer da entrega, da catarse iminente, da percepção da minha arte e da minha voz. Havia enfeitado o conceito da dramaticidade artística, travestindo estilos literários confusos, Era uma falsa alteridade. Eu me lembro de ter dito uma vez sobre a minha paixão pelo teatro: – “O palcoContinuar lendo “A arte cura”

Com raiva, eu?

“Deixa em paz meu coração que ele é um copo até aqui de mágoa. E qualquer desatenção, faça não, pode ser a gota d`água”. Chico Buarque Durante a nossa vida aprendemos a lidar racionalmente com os nossos problemas sem entender o mecanismo dos nossos sentimentos e emoções, bem como os impactos quando em desequilíbrio. AContinuar lendo “Com raiva, eu?”