A arte cura

Havia guardado o teatro na gaveta; inclusive o prazer da entrega, da catarse iminente, da percepção da minha arte e da minha voz. Havia enfeitado o conceito da dramaticidade artística, travestindo estilos literários confusos, Era uma falsa alteridade. Eu me lembro de ter dito uma vez sobre a minha paixão pelo teatro: – “O palcoContinuar lendo “A arte cura”

Sobre as polaridades das nossas emoções

Das maldades humanas tenho compaixão, noutras vezes raiva. Porém, com a energia da raiva eu escolhi correr ao menos 5 km diários ou levantar sem ajuda, os móveis pesados do meu quarto quando quero mudá-los de lugar. Ah, e faço bom uso na mastigação, triturando os alimentos mais densos com energia e efetividade. Com aContinuar lendo “Sobre as polaridades das nossas emoções”

Sobre as barreiras de desconexão

As muitas barreiras que eu havia criado me impediam de ver a verdadeira capacidade de amar que eu possuo em todas as minhas células. O fato de romantizar os fatos também gerou muitos desalinhos já que as expectativas criadas determinavam os modelos, com os quais os meus parceiros deveriam se guiar. A ilusão era aContinuar lendo “Sobre as barreiras de desconexão”