Ninguém segura uma mulher segura

Umbigo O mundo é todo meu! Sempre tive problemas de relacionamento com a minha barriga. Discutíamos por tudo, principalmente quanto a sua teimosia. Rsrs A sua forma, não era aquilo que eu tinha imaginado, ou, melhor, era diferente do publicado nas revistas como modelo, perfeito e universal. Era mole, sem músculos definidos. Uma pochetinha inadequada.Continuar lendo “Ninguém segura uma mulher segura”

Yo Você We – Minhas Experiências com o amor

Oláaa!!! É com grande alegria que divulgo o lançamento do meu primeiro livro de poesia Yo Você We – Minhas Experiências com o Amor!!!!! Yo Você We é o retrato da minha narrativa pessoal em busca da excelência no amor romântico. O livro já pode ser encontrado Aqui para download Yo Você We  Se vocêContinuar lendo “Yo Você We – Minhas Experiências com o amor”

Dois Sóis

E entre nuvens, hoje o céu me apareceu mais claro. Os ventos também mudaram com movimentos lentos e calmos. Até os assobios entre os prédios nas noites de lua clara Transportavam a língua das metamorfoses para o etéreo. Trazendo uma vida com mais sabor, mais amor, mais paz. Era um mistério. Um elo entre oContinuar lendo “Dois Sóis”

O som do silêncio

Entrei em um silencio profundo; aquele da não adequação. Aquele da insatisfação . Era um enigma, eu mesma. Era o fim e o começo de uma história intensamente criativa, poderosa, capaz de mover céus para acontecer. Tinha uma necessidade de tirar o peso que estava na frente da minha visão, emoção, sensação. Faltava sair doContinuar lendo “O som do silêncio”

Sobre as marcas da pós gestação

Quando a gente gesta uma criança, gesta um sonho. Um sonho que cresce, estica a pele, alarga o corpo, deixa marcas. Quando somos jovens, eu tinha 24, o corpo é tudo o que vemos, tudo o que achamos que temos. Por ele e sua estética suportamos dietas, opiniões alheias, superexposição. Ignoramos a causa: quem somos.Continuar lendo “Sobre as marcas da pós gestação”

SelfGlossário

Leveza: Quando a alma dispensa as tormentas. Tranquilidade: Quando a gente sente uma ‘quenturinha’ no coração. Inspiração: Quando algo dos outros nos importa. Intuição: Quando o que vem de fora já não importa. Amor: A chave e a porta! Texto e foto: Yve Oliveira

Nossos últimos capítulos

Nós brasileiros fomos criados e educados pelas telenovelas. Aprendemos a torcer para o vilão, chorar com os protagonistas, seguir o estilo/visual e a linguagem (bordões) das personagens. Não contentes, começamos a acompanhar séries baseadas em fatos reais o que de alguma maneira permitiu que a nossa memória inconsciente fosse se acostumando com a ideia deContinuar lendo “Nossos últimos capítulos”

Até quando Facebook?

Desativei o face! Voltei para organizar a casa! Visitei amigos, posts, compartilhamentos. Li memórias, intrigas, confusão, descaso. Vi amor, alegrias, sofrimento, angústia, abandono. Falta de bom senso, horror, terror, retrocesso. Vi. Li. Anotei. Postei Paulo Freire. Abandonei a necessidade de utilizar dos mesmos critérios para me manifestar para o sim ou para o não. SouContinuar lendo “Até quando Facebook?”