Não

É muito interessante o quanto, por vezes, lutamos insistentemente pelos sonhos do passado. Ficamos lá lembrando o quanto era bom, o quanto eramos felizes ou realizados, deixando de perceber outras tantas possibilidades que podemos ter quando escolhemos desapegar e confiar. Ouvir um não é difícil. Ver uma porta querida fechada também. Porém, se conseguirmos silenciarContinuar lendo “Não”

Será que a culpa é sempre do professor?

Essa semana navegando pelo facebook entrei em contato com um post sobre uma professora que encaminhou seus alunos para a diretoria porque sorriram durante a sua aula. A professora justificou a sua atitude por se tratar de mais um momento em que se sentia desrespeitada em  sua aula. Após dez anos trabalhando com jornalismo educacionalContinuar lendo “Será que a culpa é sempre do professor?”

Sobre renovar a ideia de amor

Alguns amores são como sonhos. Projeções egoicas das nossas expectativas: Só sobrevivem enquanto a ilusão persiste. É difícil perceber o maniqueísmo do ego ressentido lutando mais por uma ideia de romance do que realmente por estar amando sozinho. A libertação chega quando a máscara cai. A nossa. Quando o modelo de príncipe/princesa encantada se vai.Continuar lendo “Sobre renovar a ideia de amor”