A arte cura

Havia guardado o teatro na gaveta; inclusive o prazer da entrega, da catarse iminente, da percepção da minha arte e da minha voz. Havia enfeitado o conceito da dramaticidade artística, travestindo estilos literários confusos, Era uma falsa alteridade. Eu me lembro de ter dito uma vez sobre a minha paixão pelo teatro: – “O palcoContinuar lendo “A arte cura”