Sobre a experiência com a maternidade

Hoje perdi a conexão com a poesia rasa e (des) criei a necessidade de falar de amor do jeito que você espera. Porque o amor não tem nada de romântico, nem poético. Amor, meu caro, é selvagem sanguíneo, inconsequente. Arde, queima, dói. Meu querido, amor é explosão. É supernova. É um vulcão em erupção. AmorContinuar lendo “Sobre a experiência com a maternidade”