Não

É muito interessante o quanto, por vezes, lutamos insistentemente pelos sonhos do passado. Ficamos lá lembrando o quanto era bom, o quanto eramos felizes ou realizados, deixando de perceber outras tantas possibilidades que podemos ter quando escolhemos desapegar e confiar. Ouvir um não é difícil. Ver uma porta querida fechada também. Porém, se conseguirmos silenciarContinuar lendo “Não”

Até quando Facebook?

Desativei o face! Voltei para organizar a casa! Visitei amigos, posts, compartilhamentos. Li memórias, intrigas, confusão, descaso. Vi amor, alegrias, sofrimento, angústia, abandono. Falta de bom senso, horror, terror, retrocesso. Vi. Li. Anotei. Postei Paulo Freire. Abandonei a necessidade de utilizar dos mesmos critérios para me manifestar para o sim ou para o não. SouContinuar lendo “Até quando Facebook?”