Da busca e da vastidão do ser

É na ondulação do mistério a razão da nossa eterna busca pelo sentido da existência O que há de vir? De onde vim? Por que estou aqui? São sentidos sem limites, sem direção como flechas de permanentes questionamentos, É a busca do sim e do não, Dos ponteiros do nosso tempo, Do tempo que vivemosContinuar lendo “Da busca e da vastidão do ser”