Agapefobia

Eu tenho medo O amor me dá medo Tenho tanto medo Medo de não ser aquilo que você espera Medo de você gostar de mim agora e não depois Medo de você voltar para os braços do mundo Medo O amor me dá medo Como uma pétala de flor perto de uma rajada de ventoContinuar lendo “Agapefobia”

Imprevisível

Tudo flui no invisível. Na nudez das palavras, no afeto expandido, no destino alinhavado, mesmo que a distância. Quem saberá ao certo de onde vem essa presença tão poderosa que transborda o dia, as horas, invade as estações, e mesmo desengonçado ilumina, sem me cansar. É tudo invisível. O abraço, o olhar e o sorrisoContinuar lendo “Imprevisível”

Sobre óbvios ululantes

Ultrapassamos a barreira das impressões. Das versões que fizeram e que fizemos de nós; Do mistério que costurou silencioso os músculos geradores do seu sorriso; Da verdade estampada na cara, na alma e no peito! Agora, sem amarras, nem traumas a vida celebra a beleza do aprendizado na impermanência! E que assim seja! No fundo,Continuar lendo “Sobre óbvios ululantes”

Contadora de histórias Giuseppina Burigo representa o Brasil em evento na Colômbia

A contadora de histórias paulistana Giuseppina Burigo será um dos destaques  internacionais do V Encuentro Internacional de Narradores Orales “Cántaro de Cuentos”, que acontece nos dias 8, 9 e 10 de agosto, na Antioquia de Itaqui, na Colômbia. Ao lado das brasileiras Liz Ângela Gonçalves, Daniele Pamplona e Patrícia Fernanda Bittencourt, bem como artistas daContinuar lendo “Contadora de histórias Giuseppina Burigo representa o Brasil em evento na Colômbia”

Entrevista Marcela Fonseca – Lives de Segunda

Na última segunda, 30 de julho, às 20h30, recebi no meu programa Lives de Segunda, no Instagram (Stories,) a jornalista e fundadora do site Moda Sem Crise Marcela Fonseca! Durante a entrevista conversamos sobre sua trajetória na área da comunicação social e como o seu trabalho voltado para o Jornalismo Consciente vem impactando, nos últimosContinuar lendo “Entrevista Marcela Fonseca – Lives de Segunda”

Como vencer o culto da competição feminina?

Provavelmente você já deve ter ouvido falar do termo sororidade. O termo cunhado pelos coletivos feministas traz como significado, a importância da união e da empatia para um melhor relacionamento entre as mulheres. Mesmo que você esteja distante de qualquer movimento social voltado para os direitos humanos ou feministas é um fato que muitas mulheresContinuar lendo “Como vencer o culto da competição feminina?”

Workshop Básico de fotografia

Se você ama fotografar no dia a dia, passeios e viagens e quer aprender como transformar suas imagens em registros incríveis vai adorar essa oficina básica de fotografia. É importante que você leve o seu equipamento favorito. (Pode ser o seu celular!) Durante duas horas vamos ampliar o nosso olhar sobre enquadramento, luz, arte, sensibilidade,Continuar lendo “Workshop Básico de fotografia”

Da busca e da vastidão do ser

É na ondulação do mistério a razão da nossa eterna busca pelo sentido da existência O que há de vir? De onde vim? Por que estou aqui? São sentidos sem limites, sem direção como flechas de permanentes questionamentos, É a busca do sim e do não, Dos ponteiros do nosso tempo, Do tempo que vivemosContinuar lendo “Da busca e da vastidão do ser”

Em exposição

Em exposição Nós! Nus! Expostos nas linhas e circunferências em uma liquidação. Nós! Corpos sem rosto, expressão, cor ou gênero sem interrelação. Nós Estamos vivendo assim ou não? Nus Seguiremos presos? Romperemos o vidro? Vestiremos a pose e o sorriso? Nós Estamos em promoção! Foto e texto: Yve de Oliveira

Poema da modernidade

Fazer de si um comércio. Esvaziar o amor. Fazer flyers de nós, a arte perfeita. Para a Rede. Em rede, estamos sós, por todos os lados. Absurdamente, Narcisamente, Com uma casca. Uma máscara, escancarada; egoicamente marcada. Mais nada. Nada a dizer. Texto e foto: Yve de Oliveira

Sobre abrir-se para as possibilidades

Lance um novo desafio para as suas crenças limitadoras. Ultrapasse os discursos prontos e o velho resmungo do cotidiano. Rasgue as culpas inventadas e todas aquelas justificativas para terceirização dos problemas. Amadurecer é amor em movimento. O mundo gira dinâmico. Tudo vai se transformando, mudando a nossa maneira de ser ou ver as coisas, porContinuar lendo “Sobre abrir-se para as possibilidades”

Transpassar

Romper. Ultrapassar o tangível, o dito impossível. Ampliar o limite do céu no espelho. Vencer com o azul. Multiplicar as extremidades na lente, nos corpos, no pilar. Na beira é o fim ou o início? Sem precipício. foto e poema: Yve de Oliveira