Escutar para além das orelhas

As gentes só escutam o que querem Ou o que podem entender do que escutam. Ouvir atualmente, vem sendo um ato prodigioso, Quase imaculado! Receber o que vem do outro em nossos tempos, sem julgamento, seria talento, uma meta ou utopia? Quem sabe um mantra para todos os dias: – Sempre escute para além dasContinuar lendo “Escutar para além das orelhas”

Desabafo

Das voltas que o mundo dá eu tenho medo do ridículo. De me tornar ridiculamente frágil na sua presença. Tenho adquirido nos últimos anos um antígeno contra o seu mal amor, por isso, modelo a mim mesma como Clarice Lispector ou Frida Kahlo: Oculto o sofrimento e transporto para a arte. Paradoxalmente a essa realidadeContinuar lendo “Desabafo”

Destempero

Decido levantar. Não há possibilidade para o sono. Da janela, posso ver o céu repleto de estrelas e penso em você. Penso em nós. Dos passos e descompassos. Das nossas escolhas, ausências, silêncios, tormentos. Um dia, eu quis voltar no tempo; Quando tudo era propício, no início. Mas, sempre foi assim: descompromisso. Vida a empurrarContinuar lendo “Destempero”

Imprevisível

Tudo flui no invisível. Na nudez das palavras, no afeto expandido, no destino alinhavado, mesmo que a distância. Quem saberá ao certo de onde vem essa presença tão poderosa que transborda o dia, as horas, invade as estações, e mesmo desengonçado ilumina, sem me cansar. É tudo invisível. O abraço, o olhar e o sorrisoContinuar lendo “Imprevisível”